• Milka Freitas

A FUGA

Por: "FUGITIVA "


Que susto. O telefone tocando as 04:30h da manhã, no visor, seu nome, atendi de imediato, preocupada.

- oi, o que foi? Tá tudo bem?

- oi, só queria te ver, tô na porta... - essa hora... tá doido?

- preciso... Esse "preciso" já disse tudo, eu já sabia exatamente o que queria.

- é muito arriscado... - só um pouquinho, tô com tanta vontade, quer ver? E logo em seguida a foto da " vontade". O pau mais lindo do mundo, só a cabeça, pra fora do short e eu senti, bem no meio das minhas pernas, que ele tava me chamando.

- espera um pouquinho, vou dar um jeito de sair. E como se eu flutuasse, atravessei a casa com passos de fada, abri a porta desejando ser invisível e com a respiração faltando, cheguei na rua. Entrei no carro rapidamente... Com a mão no peito, sentindo o coração acelerado, tentei me acalmar. Sua mão nas minhas coxas e seu sorriso safado me deixaram mais ofegante, imediatamente você percebeu que eu já estava sem calcinha e você me comeu em um beijo, comeu mesmo, com toda a sua boca, lábios e dentes, mordiscando minha língua e o canto da boca. Começou o calor. Meu rosto queimava com o atrito da sua barba. A camisola folgada e de tecido fino só aguçou a sua safadeza e deu liberdade para sua mão tomar posse de todo o meu corpo. Nunca senti os bicos dos meus peitos tão duros. Os seus caninos passeando pelo meu pescoço e uma verdadeira enchente tomou conta da minha buceta. Precisei te tocar, ainda de short, mas o relevo me fez salivar.




- me chupa... Disse isso só pra não perder o hábito mas sabendo que era das minhas práticas preferidas. Me pegou pela nuca e me direcionou... tirei o pau de dentro do short e como sempre, maravilhada com a visão, segurei firme, já molhado, comecei engolindo devagar, sugando e passando a língua... adoro, fico louca nessa hora.

- vai me fazer chegar até o final aí mesmo? Quero sua buceta! Parei e só com o seu olhar sabia, fui para o banco de trás, você em seguida, suas mãos começaram a "abrir" caminho e o  caminho ja estava muito molhado

- pronta pra mim, do jeito que eu gosto. Me masturbou antes de meter. Gozei, tremendo na sua mão.

- deita, de ladinho, meu pau quer sentir você. Botou o preservativo e com uma mão segurando meu peito, encaixou, penetrou e eu ouvi:

- buceta gostosa da porra, minha toda minha. Sorri. E como se fosse um botãozinho você segurava o bico do meu peito enquanto, freneticamente entrava e saia de dentro de mim... gozei outra vez e com um gemido forte, demorado, você matou a sua "vontade". Não sei quanto tempo mas foram alguns minutos descansando, olhando pelo vidro embasado, o dia clareando, me dei conta que estava na rua e que precisava entrar... Me despedi cheirando seu pescoço. Entrei na ponta dos pés, com o rosto queimando e a felicidade escorrendo pelas pernas. No telefone a mensagem:

- tu é foda, gostosa minha! Fugitiva.

92 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo